Música para os 50 anos do Festival de Woodstock

“Não confiem em ninguém com mais de 30 anos”

O DN publica uma excelente evocação daquele que terá sido o maior percursor dos grandes festivais de Verão. Muito marcado pela música rock, o movimento hippie, o consumo recreativo de drogas e o pacifismo – com os EUA envolvidos em pleno na Guerra do Vietname – Woodstock foi um ponto alto de afirmação da cultura juvenil dos anos 60 e do que podemos chamar uma contracultura contestatária que abalou, na altura, o conformismo e o consumismo das sociedades ocidentais. E que tinha tido um outro ponto alto, no ano anterior, nos confrontos do Maio de 68 francês…

Músicas de Verão: 5ª Sinfonia de Beethoven – como nunca vista…

Músicas de Verão: Oliver Mtukudzi – Hear Me Lord

Músicas de Verão: Danza Invisible – A este lado de la carretera

Para quem não reconheceu, é uma recriação espanhola do clássico de Van Morrison, Bright Side Of The Road

Músicas de Verão: Quim Barreiros – Quero ser banqueiro

Há uma higiénica distância que as elites nacionais gostam de manter em relação aos cantores populares que todos os anos percorrem, com assinalável sucesso, o circuito das festas, feiras e romarias.

Sendo os gostos musicais discutíveis, a verdade é que Quim Barreiros, talvez o mais popular de todos e o que há mais tempo se mantém em actividade, continua a ter uma enorme legião de fãs incondicionais por esse país fora, vive do seu trabalho e nunca constou que andasse a enganar ou a roubar a clientela que lhe compra os discos ou assiste aos seus espectáculos.

Ao contrário dos ladrões de colarinho branco que resolveu retratar numa das suas últimas cantigas. E que revela, do homem, uma dimensão política – no melhor sentido do termo – que lhe desconhecia…

Quando eu for grande não quero ser ladrão
Quero ser banqueiro, que assim não vou para a prisão.

Músicas do Mundo: The Savoy Family Band – Bayou Pompom

Música para o 10 de Junho: Quinta do Bill – Os Filhos da Nação