Txitxa revivalista

O velhinho Livro de Leitura da 3.ª Classe revisitado através da criatividade de uma Txitxa…

Pseudociência

Porque às vezes um boneco bem apanhado vale bem mais do que mil palavras…

Cartoon de origem desconhecida, em circulação nas redes sociais.

Proibido partilhar

Ando há alguns dias a hesitar sobre o que escrever a propósito do caso do aluno da Escola de Rio de Mouro suspenso por estar a partilhar comida e bebida com os colegas, em infracção às regras do plano de contingência e depois de ter sido avisado que o não deveria fazer.

Severidade excessiva, autoritarismo e prepotência da directora, dirão uns, na aplicação de um castigo desproporcionado em relação à falta cometida, mais merecedora de uma medida correctiva do que sancionatória.

Agiu muito bem, garantem outros, tendo em conta que o aluno já era, aparentemente, reincidente na prática e que as regras de segurança sanitária são mesmo para cumprir, sob pena de os planos de contingência em vigor nas escolas se tornarem uma valente palhaçada.

Sem conhecer o suficiente da situação para ajuizar em definitivo – talvez um pouco mais de bom senso de todos os envolvidos pudesse ter evitado a discussão, com contornos por vezes algo caricatos, nos media e nas redes sociais – opto pela leitura gráfica e bem humorada do Paulo Serra. E espero que esta partilha virtual que faço do seu boneco, publicado originalmente no Facebook, não tenha castigo associado…

Olhares sobre a profissão docente

A preocupação com a imagem que os outros têm de nós é, tradicionalmente, uma marca muito forte da identidade da classe docente.

Algo que demasiadas vezes nos inibe de fazermos o que é justo e de defendermos intransigentemente os nossos direitos. Porque há sempre um momento em que se acende uma luzinha na nossa consciência que nos leva a perguntar a nós próprios: o que irão pensar de mim?…

Aqui ficam, em dia que se convencionou ser, além de aniversário da República, também do Professor, dois bonecos bem humorados que confrontam os múltiplos e contraditórios olhares que incidem sobre os profissionais da Educação…

prof

professor

O fim da macacada

Nunca lutes com um porco; primeiro porque ficas todo sujo; segundo, porque ele gosta. O sábio conselho de Bernard Shaw poderia dirigir-se a Joe Biden e ao exasperante debate contra o ainda presidente dos EUA.

Um duelo mediático que o Henricartoon interpretou muito apropriadamente…

macacos

Quino (Joaquín Salvador Lavado Tejón) 1932-2020

Educação Musical anti-covid

Da bolha à molha

confinamento-chuva

© Paulo Serra

Basta uma chuvada para se perceber que os planos de contingência, bonitos no papel, nem sempre funcionam na prática. Fica evidente que a maioria das escolas não tem área coberta suficiente para cumprir o distanciamento das diferentes “bolhas” de alunos.

Para já, as autoridades da saúde e da educação parecem ter entrado em modo de negação. E surgem indícios preocupantes de que a ordem para manter as escolas abertas é para cumprir a todo o custo, mesmo quando já há casos positivos confirmados de alunos e pessoal docente e não docente e prováveis contágios dentro da “bolha”.

Que estes casos estejam a ser escamoteados perante a opinião pública, remetidos para a sempre conveniente autonomia das escolas e as decisões casuísticas das autoridades de saúde locais, também não é bom augúrio. Que não se caia na tentação de filtrar e esconder informação – um mau caminho seguido noutros países, cujos resultados desastrosos são evidentes. Que à lei da bolha não se venha a sobrepor a lei da rolha…

A máscara é fundamental

Com ou sem máscara, o humor de Antero Valério a começar o ano da melhor maneira…

Objecções

facetoons

Daqui.