A escola do século XIX em imagens – I

Em vez das estúpidas caricaturas da “escola do século XIX” que os charlatães de novas pedagogias nos apresentam, o exercício que proponho aos leitores, e que se estenderá ao longo de vários posts estivais, passa por observar a forma como diversos pintores representaram a escola do seu tempo. Não sendo propriamente um tema popular, não abundam os retratos do interior da sala de aula: os exemplos que nos surgem são geralmente de pintores menores ou desconhecidos do grande público.

O primeiro quadro da série faz-nos recuar até ao século XVII e a uma sala de aula que eventualmente faria as delícias de alguns pedagogos pós-modernos. Mas também por aqui se percebe que as ideias destes pouco ou nada nos trazem de novo.

Jan Steen, A escola da vila (c. 1670)

O ambiente na sala é caótico ou, numa leitura mais moderna e optimista do que aqui se observa, cada um aprende ao seu ritmo: uns estudam atentamente, outros põem a conversa em dia; este dorme, outros brincam, aquele lá ao fundo faz palhaçadas empoleirado em cima de uma mesa.

Existem não um mas dois professores na sala, o que demonstra que o par pedagógico não é uma invenção contemporânea. A pedagogia não é directiva: os professores não dão aula, esclarecem dúvidas aos alunos que querem aprender. Mas a divisão do trabalho deixa algo a desejar: enquanto a professora cumpre a sua tarefa, o seu parceiro entretém-se com alguma coisa que tem entre mãos…

No século XVII, eram raras as escolas que não pertencessem a instituições religiosas. Haveria escolas laicas, geridas por particulares ou comunidades locais, mas a noção de escola pública era inexistente. A sala de aula era um espaço desorganizado, sem mobiliário específico, onde se misturavam crianças e jovens de diversas idades e níveis de conhecimento: dificilmente reconheceríamos nesta imagem os conceitos actuais de turma ou de sala de aula. Não havia qualquer controlo sobre a formação académica dos docentes, as matérias leccionadas ou as práticas pedagógicas usadas.

Eram os filhos das classes trabalhadoras que frequentavam escolas como esta: antes de se afirmar a moda dos colégios internos de elite, alta nobreza e alta burguesia recorriam geralmente a aulas particulares para o ensino dos seus rebentos. Nada que surpreenda: também nos dias de hoje, os mais activos propagandistas da escola do século XXI raramente a escolhem para a educação dos seus próprios filhos…

3 thoughts on “A escola do século XIX em imagens – I

  1. De todas as vezes que me foi dado experimentar a estratégia do par pedagógico ou das turmas pequenas, o sucesso disparou. Isto apesar de um ex-ministro ter declarado não estar provado que as turmas mais pequenas etc. e tal. Porque será???

    Liked by 2 people

  2. O ex-ministro é parvo e ignorante. Encontra-se mais que provado que, quer o par pedagógico, quer as turmas mais pequenas, favorecem a gestão das variáveis pedagógicas com consequências positivas no sucesso escolar. E já não é de agora.

    Liked by 1 person

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.