Escola digital, ou empobrecimento da escola?

Entre a recauchutagem de um sortido variado de velhas correntes pedagógicas e o fascínio da “transição digital”, os pedagogos do regime continuam à procura de receitas infalíveis para o sucesso educativo. Escola motivadora e divertida, aprendizagens imediatas e sem esforço, muita tecnologia… mas apenas daquela mais limpinha, segura e pronta a usar, a das imagens virtuais e dos dedinhos a deslizar nos ecrãs. Como nota o professor universitário José Lopes:

Em boa verdade, o fascínio dos pedagogos do regime com o uso didáctico das tecnologias dá-nos um vislumbre da escola classista do futuro, activamente promovida pelo partido que se diz socialista: as escolas dos ricos com laboratórios para fazer experiências reais e meter a mão na massa; também com campos desportivos, jardins, bibliotecas e auditórios; em contraponto, nas escolas dos pobres prevalecem os artefactos tecnológicos e as experiências virtuais que se exibem nos ecrãs.

Claro que se um dia lá chegarmos dirão que não era nada disto que queriam. Mas é mesmo o caminho do empobrecimento das aprendizagens que se escolhe, quando se desinveste em recursos materiais e humanos na escola pública e se degradam as condições de trabalho dos profissionais da Educação, ao mesmo tempo que se anunciam os maiores investimentos de sempre nas tecnologias digitais.

One thought on “Escola digital, ou empobrecimento da escola?

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.