António Costa fala verdade?

fact_check-errado1x1“(…) e esta organização especial em que a escola vai ter de funcionar, como que criando caixas estanques entre cada turma, para que cada sala seja só para uma turma, cada carteira seja só para um aluno, que os lugares sejam sempre os mesmos (…)”

Entusiasmando-se com as suas próprias palavras – o que é compreensível num optimista nato – ou querendo enganar quem o houve – o que já não é aceitável – o primeiro-ministro garantia, no início da semana, a existência de condições seguras para o regresso às aulas. Mas será que quem o houve pode confiar nas suas palavras?

Tendo em conta o decréscimo de natalidade das últimas décadas, haverá hoje menos escolas sobrelotadas do que há dez ou vinte anos atrás. Nesse sentido, garantir uma sala fixa para cada turma será um objectivo exequível na maioria dos estabelecimentos. Mas também é verdade que, nas escolas onde se sabe existirem mais turmas do que salas – e por isso as turmas terão de ir rodando por salas diferentes – pouco ou nada se fez para alterar essas condições.

Quanto às mesas individuais, julgo que pouquíssimas escolas as poderão garantir para todos os alunos, por uma razão muito simples: as escolas são, regra geral, equipadas com mesas duplas, em número insuficiente para uma utilização individual. Mas também aqui, se houvesse vontade, poderiam ter-se criado condições, como se foi feito em Itália, onde se adquiriram mais de dois milhões de mesas individuais.

O Observador resolveu fazer, como agora está na moda, o fact check das declarações de António Costa, confrontando o seu optimismo com a realidade concreta das escolas, transmitida pelos representantes dos directores. A conclusão é óbvia: a maioria das escolas não garante aos seus alunos mesas de uso individual e em muitas delas nem sequer é possível impedir que não mudem de sala várias vezes ao dia. O PM anda a enganar os Portugueses…

“Claro que não é possível. Na grande maioria das escolas não é possível ter caixas estanques, quando nem sequer há mesas individuais. Percebo a intenção do primeiro-ministro, ela está correta, mas ele também sabe que as escolas são todas diferentes. No meu caso, que tenho mais turmas que salas, não consigo ter aquilo a que chamamos sala-mãe para cada grupo de alunos”, esclarece Manuel Pereira.

Já Filinto Lima, presidente da ANDAEP, associação nacional de diretores de agrupamentos e escolas públicas, acredita que conseguir uma sala por turma não é impossível, mas acha improvável que as escolas consigam ter uma carteira por aluno.

[…] “Quanto às carteiras, penso que será difícil ter uma por aluno, e às vezes é mesmo impossível, porque a maioria das escolas tem mesas duplas e as salas de aula não aumentam de tamanho”.

One thought on “António Costa fala verdade?

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.