Leituras: Escola audaciosa, ou divertida?…

aula

Eu gostaria de uma escola que tivesse a audácia, que corresse o risco de assumir a sua especificidade, de jogar a cartada de sua especificidade. Uma das causas do mal-estar actual parece-me ser que a escola quer comer de todos os pratos: ensinar o sistemático, mas também deleitar-se com o disperso, com o acaso dos encontros; recorrer ao obrigatório, mas tentando dissimulá-lo sob a aparência de livre escolha. Em particular a escola, frequentemente ciosa dos sucessos em actividades de animação, decanta-se em fórmulas mais suaves, mais agradáveis – mas vê-se obrigada a constatar que elas são inadequadas para ensinar álgebra ou para chegar até Mozart.

Direi até que não me parece um elogio à escola que os alunos cheguem a confundir a aula com o recreio, o jogo com o trabalho, que eles queiram prolongar a aula como um recreio, retornar à escola como a uma actividade de lazer – pois é realmente à escola que eles retornam? Temo que nessa altura a escola tenha abandonado o seu próprio papel – embora reconheça que em certos momentos, para certos alunos, pode ser indicado introduzir elementos de brincadeira, momentos de distracção, com a condição de que não se esqueça que estes são estimulantes intermédios, destinados a ser temporários.

Georges Snyders, A Alegria na Escola (1986).

One thought on “Leituras: Escola audaciosa, ou divertida?…

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.