O falso problema das moradas falsas

filipa-lencastre.JPGTodos os anos a história se repete: o número de alunos que se pretendem matricular em determinadas escolas excede largamente a sua capacidade ou o número de turmas autorizadas.

Antes de mais, ressalve-se que isto é um problema de um número quase residual nas escolas portuguesas. O declínio demográfico fez diminuir a população escolar, pelo que a maioria das escolas não tem alunos a mais: tem é falta deles.

As escolas que não conseguem receber todos os alunos que as procuram, estão geralmente numa de duas situações. São as que se situam em bairros centrais ou periféricos das grandes cidades onde a população aumentou e, com ela, o número de crianças em idade escolar. E as que servem zonas urbanas habitadas predominantemente pela classe alta ou média-alta, onde o prestígio da escola e os bons resultados académicos da maioria dos alunos funcionam como chamariz para alunos de outras proveniências.

Escolas mais procuradas de Lisboa, como o Agrupamento Filipa de Lencastre, deixam alunos da área de residência de fora – que são ultrapassados por falsos encarregados de educação, garantem os pais do movimento “chegademoradasfalsas”

Sobre esta escola, apropriadamente descrita por uma estudante como uma escola pública com alunos do privado, já aqui escrevi em tempos. Com alunos empenhados, condições económicas e sociais acima da média, bom ambiente familiar e, se tudo isto não chegar, acesso a todos os explicadores de que precisarem para melhorar as notas, é fácil chegar ao topo dos rankings.

O problema é que depois todos querem uma escola assim para os seus filhos, e os lugares disponíveis não são suficientes. Aplicam-se as prioridades, como manda a lei, e logo começam a surgir alunos residentes na casa de um tio, um avô ou um amigo da família residente na área de influência da escola.

A situação não é fácil de resolver, depois de se ter andado anos a promover rankings de escolas e a e elogiar e premiar as que obtinham melhores resultados com os seus alunos, em vez de apoiar e investir nas que mais necessitavam. A alimentar o mito da liberdade de escolha, para agora, quando todos julgam fazer a melhor escolha, se perceber que não há lugar para todos na escola que escolheram.

Uma política de habitação que deu rédea solta à especulação imobiliária e favoreceu a segregação social nas cidades, destinando bairros inteiros para habitação quase exclusiva das classes mais favorecidas, enquanto noutras partes prevalecem os prédios degradados e os guetos destinados a habitação social, também contribuiu para a segmentação dos públicos escolares.

Chegámos assim ao ponto em que estamos agora, com escolas ditas de excelência onde se investe no estudo para os exames e se alimenta o negócio paralelo das explicações e dos centros de estudo e, no reverso da medalha, os TEIPs e outras escolas estagnadas no fundo dos rankings, onde quase tudo o que se investe é em medidas para mitigar o insucesso e o abandono.

A avalanche de inscrições no “Filipa” e noutras escolas com fama de serem boas não se resolve com simples medidas administrativas. Ela é reveladora das incongruências e contradições de diversas políticas sociais e educativas que têm sido seguidas nas últimas décadas e que só se resolverão quando tivermos, não uma, mas muitas “Filipas” espalhadas pela cidade. Pois a escola pública de qualidade não pode ser privilégio de alguns: é um direito de todos os alunos.

Interessa, antes de fazer seja o que for, perceber como chegámos até aqui.

Anúncios

4 thoughts on “O falso problema das moradas falsas

  1. Nem por acaso, à pouco, coloquei no post anterior, o link de um vídeo a descrever esta escola, realizado por uma das associações de pais do agrupamento,

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s