Insubmisso até ao fim

melenchon.JPGAo contrário dos que se têm entretido a crucificar o candidato derrotado de esquerda, Jean-Luc Mélenchon, por ainda não ter apelado claramente ao voto em Emmanuel Macron na segunda volta das presidenciais francesas, parece-me que as reservas do candidato da esquerda “insubmissa” faz todo o sentido:

  • Reafirma a ideia de que os candidatos não são donos dos votos dos seus eleitores. Cada um dos votantes em Mélenchon terá agora de, pensando pela sua cabeça, decidir qual a forma mais inteligente e eficaz de usar o seu voto de acordo com aquilo que pretende para o futuro da França.
  • Passa a bola para o lado do candidato centrista, que é quem efectivamente vai a jogo no próximo domingo. Se está interessado nos votos da esquerda e quer derrotar a direita nacionalista, racista e xenófoba representada por Le Pen, não pode limitar-se a promessas vagas e a agitar o papão da extrema-direita. Tem de assumir compromissos concretos e mostrar claramente, aos eleitores de esquerda, as boas razões que poderão ter para votar nele.
  • A democracia tende a funcionar melhor quando não estende a passadeira vermelha a políticos situacionistas, oportunistas e demagogos, como Macron aparenta ser. E mais importante do que a eleição, praticamente certa, é o que irá fazer um Presidente que não dispõe do apoio de um grande partido para governar. Em vez de lhe passarem um cheque em branco, os Franceses terão tudo a ganhar se venderem caro o seu voto ao mais que provável vencedor das presidenciais de domingo.
Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s