Aeroporto Cristiano Ronaldo?…

ronaldo.gifA atribuição do nome Cristiano Ronaldo ao Aeroporto Internacional da Madeira, que será assinalada na quarta-feira, não é um assunto consensual entre os madeirenses, sendo comum ouvir-se opiniões contrárias à mudança, apesar da admiração geral pelo futebolista.

Disparatada, ridícula até, esta mania que surgiu entre nós de atribuir nomes de personalidades portuguesas aos principais aeroportos do país.

Começou com o aeroporto do Porto, antigamente designado pelo nome da área metropolitana que serve ou, simplesmente, do lugar onde foi construído, com o poético nome de Pedras Rubras. Pondo de parte o evidente mau gosto de dar a um aeroporto o nome de um político que morreu num desastre de aviação, haverá que reconhecer que Francisco Sá Carneiro esteve muito longe de ser o estadista relevante do século XX português que a direita portuguesa ambicionava. Não o digo pelas suas qualidades, carisma ou popularidade, mas pela notória falta de tempo para realizar o programa político que teria idealizado para o país.

Já o General Humberto Delgado, impulsionador da aviação portuguesa, tanto militar como civil, ligado à criação da TAP, foi uma escolha mais acertada para designar o aeroporto de Lisboa, mas mesmo assim gostaria que tivesse permanecido o nome da capital na designação oficial.

Agora em relação ao aeroporto da Madeira é que não encontro justificação para receber o nome de um futebolista no activo apenas pela razão de este ter nascido na ilha. Não entendem que é mais importante preservar e valorizar a marca “Madeira” do que ir atrás das botas de ouro do Ronaldo para perseguir notoriedade fácil? Quantas pessoas acham que, daqui a dez ou vinte anos, ainda se recordarão do futebolista? Penso nisto e o único aspecto positivo que encontro na decisão é que a alternativa que andava a ser pensada – Alberto João Jardim! – seria ainda pior.

De resto, uma rápida pesquisa confirmou-se a ideia que tinha de que dar nomes de pessoas famosas aos aeroportos internacionais é um hábito essencialmente terceiro-mundista, comum na América Latina e nalguns países do sudeste asiático e praticamente ausente na Europa, onde a única excepção relevante é o aeroporto Charles de Gaulle de Paris. Mas convenhamos que tanto o fundador da 5ª República francesa como J. F. Kennedy, homenageado no principal aeroporto de Nova Iorque, estão, para os respectivos povos, uns bons furos acima da notoriedade dos nossos ídolos com pés de barro…

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s