Uma revolução no futebol

futebol.gifNão costuma ser tema neste blogue, nem sequer assunto do meu particular interesse, pois há muitos anos que me aborreço cada vez que tento ver, integralmente, um jogo de futebol.

Mas quando li as dez propostas do director técnico da FIFA, o ex-jogador holandês Marco van Basten, não pude deixar de concordar com o jornalista: estas mudanças poderiam representar uma verdadeira revolução num desporto que, enquanto espectáculo, está cada vez mais comprometido pelo taticismo e pelo chamado anti-jogo.

Ora vejam lá o que acham, desta verdadeira reinvenção do futebol, os apreciadores do desporto-rei:

1 – Abolir o fora-de-jogo. “Tenho muita curiosidade sobre como seria o futebol sem fora-de-jogo. Creio que muita gente vai estar contra. Eu estaria a favor porque o futebol atual parece-se cada vez mais com o andebol, com equipas a colocarem muros à frente da baliza.

2 – Suspensões temporárias em vez do cartão amarelo. “A ideia é substituir o cartão amarelo por penalizações aos jogadores de cinco ou dez minutos. Já é difícil jogar dez contra onze, agora imaginem oito ou nove contra onze.”

3 – Um shoot-out em vez de penáltis para desempatar jogos. “Cada equipa teria cinco tentativas. O árbitro apita e o jogador corre 25 metros até à baliza e tem oito segundos para finalizar. Seria espetacular para os adeptos e interessante para os jogadores. Nos penáltis tudo acaba num segundo. Num shoot-out há muitas possibilidades, pode-se driblar, rematar, esperar pela reação do guarda-redes. Assemelha-se mais a uma situação de jogo.”

4 – Paragem do relógio nos últimos dez minutos. “Como nos desportos de pavilhão, o relógio iria parar cada vez que a bola saísse do campo ou houvesse faltas. É a melhor forma de combater o anti-jogo.”

5 – Só o capitão fala com o árbitro. “À semelhança do râguebi, só o capitão da equipa deve falar com o árbitro.”

6 – Limitação do número de faltas. “No basquetebol, ao fim de seis faltas os jogadores são excluídos. No futebol, iria reduzir as paragens no jogo e punir os infratores.”

7 – Oito contra oito na formação. “No futebol profissional deve continuar a ser 11 contra 11 num grande relvado, mas nos jovens ou maiores de 45 anos seria perfeito jogar oito contra oito num espaço mais reduzido.”

8 – Menos jogos. “Devemos procurar aumentar a qualidade de jogo e, como tal, devemos reduzir as épocas a cerca de 50 jogos.”

9 – Mais substituições. “No prolongamento dos jogos devia haver possibilidade de mais uma ou duas substituições, além das três no tempo regulamentar.”

10 – Substituições sem parar o jogo. “É um assunto a estudar, pois temos de ter em conta que o árbitro precisa de saber quem está em campo.”

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s