Os alunos ciganos na Bulgária

nov-pad.JPGA segregação dos estudantes ciganos na Bulgária é um dos legados do regime comunista. Nos anos 50 do século XX, foram criadas as “escolas para crianças com um estilo de vida e cultura inferior” no interior das comunidades onde viviam maioritariamente as pessoas desta etnia. A estratégia praticamente eliminou a iliteracia entre os ciganos, mas fê-lo à custa de um ensino de segundo nível. A uniformização curricular feita em 1992, já em democracia, equiparou estes estabelecimentos de ensino aos restantes da rede pública, mas continuaram a ser exclusivamente frequentados por ciganos.

No final da última década do século XX e com a entrada na União Europeia no horizonte, as ONG roma – a designação internacional para a etnia cigana, que na Bulgária é usada de forma corrente – quiseram mostrar ao Governo que era preciso mudar esta realidade. O projecto iniciado pela DROM em Vidin propunha-se a fazer o que nunca ninguém quisera fazer: tirar as crianças ciganas das escolas segregadas e colocá-las nas escolas integradas.

Os ciganos representam cerca de 5% da população actual da Bulgária e são a segunda minoria étnica do país, logo a seguir aos turcos. Conservaram até aos dias de hoje a sua língua, costumes e tradições e vivem quase sempre em bairros próprios, separados do resto da população. A forma pragmática como o regime comunista lidou com a comunidade, criando escolas separadas para as crianças ciganas, deu lugar, com a democratização política, a projectos mais ambiciosos de integração que, embora ainda insuficientes, parecem ter sido bem sucedidos. Os 0,5% de roma que em 2011 possuíam um diploma universitário podem parecer um número irrisório, mas representam mais do dobro dos que existiam em 2001. Contudo, há ainda muitas dificuldades a superar.

O facto de as escolas segregadas terem em geral um ensino de pior qualidade e que termina no 8º ano tem suscitado propostas para o seu encerramento. Mas essa inclusão forçada seria talvez contraproducente, pois poderia aumentar o insucesso e o abandono escolares entre os jovens roma que não se sentem suficientemente confiantes para frequentar uma escola integrada. A solução mais equilibrada parece ser, assim, manter as escolas orientadas para os alunos ciganos, dando ao mesmo tempo o máximo de facilidades para a frequência de outros estabelecimentos de ensino aos alunos que o desejem.

ciganos.JPGSó que os tempos não parecem correr de feição para iniciativas generosas que promovam a integração. O principal apoio à inclusão de alunos ciganos nas escolas regulares era um projecto internacional que terminou no ano passado. E o clima de racismo e xenofobia que se vai espalhando na Europa não sugere que haja condições políticas para continuar a investir, a nível europeu, na integração de minorias. Na própria Bulgária, o crescimento eleitoral da extrema-direita reflecte o aumento do racismo, da intolerância e da discriminação entre a população: a maioria dos búlgaros que admite não querer ciganos a viver no seu bairro provavelmente também não os deseja a frequentar as escolas dos seus filhos.

Em Portugal, a comunidade cigana é muito menos numerosa, cerca de 0,5% da população, mas os problemas de integração social e escolar subsistem também entre nós. Assente em modos de vida para os quais o conhecimento académico se tornava irrelevante, a cultura cigana tradicional desvaloriza a escola e essa atitude, ainda presente em muitas famílias e comunidades, é um sério obstáculo à escolarização dos mais novos, especialmente no caso das raparigas. Claro que as profissões e formas de vida a que estes grupos se dedicavam já desapareceram ou estão em acentuado declínio, pelo que o absentismo e o abandono escolar precoce dificultam ainda mais a integração económica e social, perpetuando a pobreza, a exclusão e a guetização ao longo de sucessivas gerações.

Também na escola e na sociedade portuguesa urge fazer mais, e provavelmente melhor, em prol de uma escola inclusiva e integradora das minorias étnicas e culturais.

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s