O CDS despesista

cristas.JPGInvocando os 30 anos da Lei de bases do Sistema Educativo (LBSE), que se assinalam no dia 14 de outubro, o CDS-PP defender “ser o momento oportuno para desencadear o processo de atualização desta lei”. As propostas que deixa em cima da mesa combinam temas relativamente consensuais – pelo menos no debate político – como a obrigação da frequência do pré-escolar aos cinco anos e a estabilidade das políticas de educação, apontando para acordos a seis anos, com outros em que dificilmente encontrará apoios nos partidos da esquerda.

Entre estes últimos conta-se o “alargamento dos contratos simples, enquanto instrumento de liberdade de escolha para as famílias”. Os contratos simples são mecanismos de financiamento público da frequências de estabelecimentos privados, distinguindo-se dos contratos de associação – que têm sido alvo de vários cortes pelo atual governo – por serem celebrados por aluno e não por turma.

Além da procura constante de novos meios de financiar privados com dinheiros públicos, assumindo no seu programa político o tradicional liberalismo subsidiodependente, o CDS quer avançar com a municipalização da educação e mostra-se disponível para reduzir de três para dois os ciclos de ensino do básico, tal como o número de períodos lectivos, substituindo-os por dois semestres.

À direita, nada de novo.

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s