Os cortes nas turmas do ensino privado

aviso.PNGFoi ontem publicado no site da DGAE o aviso de abertura do concurso para extensão, ao próximo triénio, dos contratos de associação com escolas particulares e cooperativas. É este documento que nos permite ficar a saber quais as zonas geográficas onde poderão abrir novas turmas de início de ciclo com financiamento estatal.

Confirma-se o corte em cerca de metade dos colégios – de 79 ficarão, na melhor das hipóteses, 40 – e em mais de metade das turmas de início de ciclo comparativamente a 2015 – de 650 neste ano diminuirá para 273 turmas no próximo ano lectivo.

No Norte do país a razia é enorme, o que vem comprovar o quanto são redundantes a maior parte dos contratos de associação em vigor: abrirão apenas um total de 11 turmas em 4 escolas privadas distantes das públicas, nos concelhos de Cabeceiras de Basto, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Peso da Régua. Todos os outros, incluindo os maiores colégios com contratos em vigor, como o Externato de Vila Meã, o Colégio de Santa Maria de Lamas, o Externato e a Cooperativa de Riba de Ave, entre muitos mais, conservarão as turmas de continuidade mas já não poderão abrir novas turmas com financiamento estatal.

Na região Centro, todos os colégios privados do centro da cidade de Coimbra, da zona norte e da margem sul perdem as novas turmas. O mesmo sucede ao colégio jesuíta de Cernache e em Aveiro, Quiaios, Seia, Soure, Vizela, entre outras localidades. Contudo, na região de Pombal/Leiria, onde pontifica o grupo GPS, irão continuar a abrir turmas num grande número de escolas privadas com contrato de associação, assim como em Fátima, pois continuam a ser zonas carenciadas de escolas públicas.

No Oeste, houve poucos cortes, sendo o mais significativo o do colégio D. Leonor, nas Caldas da Rainha. Alcabideque, Arruda dos Vinhos, Torres Vedras e Mafra mantém os respectivos colégios a receber novos alunos por falta de escolas públicas que os possam acolher.

No Alentejo, os dois colégios, no concelho de Beja e em Vila Nova de Milfontes, continuarão a abrir o mesmo número de turmas e no Algarve não há contratos de associação.

A lista completa das 40 escolas e do número de turmas que poderão abrir está aqui.

Anúncios

One thought on “Os cortes nas turmas do ensino privado

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s