Mario Draghi sem falta de munições

Draghi-Bazooka[1]Ao falar na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do conselho de governadores do BCE, Mario Draghi explicou as medidas adoptadas e que consistem numa descida de todas as taxas de juro para novos mínimos históricos, o reforço do volume de compras mensais de activos feitos pelo banco central e o lançamento de quatro novos empréstimos de longo prazo aos bancos da zona euro com taxas de juro que podem ser negativas.

Num cenário em que muitos economistas e intervenientes do mercado dão sinais de começarem a duvidar da capacidade dos bancos centrais para fazer face à estagnação do crescimento e à ameaça de queda na armadilha da deflação, Mario Draghi decidiu puxar dos galões, defendendo aquilo que já foi feito pelo BCE e garantindo que o banco central mantém a capacidade para lutar.

“A resposta [à acusação de falta de poder dos bancos centrais] foi dada hoje pelas nossas medidas. É uma longa lista de medidas. Hoje mostrámos que não temos falta de munições”, afirmou o presidente do BCE.

O BCE insiste em fazer mais do mesmo, continuando a comprar dívida aos bancos, a emprestar-lhes dinheiro e a baixar taxas de juro que já estão praticamente a zero. O problema é que com estas medidas – demasiado radicais no entender da ortodoxia monetarista do banco central alemão – a economia europeia já deveria estar a crescer à força toda. Mas na realidade continua estagnada.

Criámos um sistema económico e financeiro que favorece a concentração de riqueza numa ínfima percentagem da população, ao mesmo tempo que deixa os estados, os cidadãos e agora até mesmo a banca comercial atolados em dívida. A isto o neoliberalismo europeu responde com ainda maiores facilidades para explorar o trabalho, adquirir empresas rentáveis a preço de saldo e expatriar capitais para paraísos fiscais fora do espaço europeu.

Entretanto, o mesmo Draghi que anuncia empréstimos aos bancos a juros negativos, um eufemismo para designar a doação de dinheiro europeu ao sistema bancário, acrescenta também, quando lhe perguntam sobre a possibilidade de entregar o dinheiro, não aos bancos, mas aos cidadãos, que apesar de ser uma hipótese académica interessante, ela ainda não foi equacionada por levantar demasiados problemas.

E, no entanto, o raciocínio é simples: a zona euro está em deflação – os preços tendem a descer de forma generalizada – e sobreendividada. As famílias e as empresas, a braços com quebras de rendimento, não conseguem pagar o que devem e os bancos têm falta de liquidez: enquanto não recuperarem o dinheiro em falta não conseguem fazer novos empréstimos.

Ora a deflação resolve-se fazendo mais dinheiro. E o remédio para o sobreendividamento não é emprestar esse dinheiro para se contraírem novas dívidas, como se tem feito até aqui, mas dá-lo para que elas sejam saldadas, entrando dessa forma dinheiro fresco na economia. Contudo, entregar este dinheiro à banca, como se tem feito, só tem permitido aos bancos obter uma folga até à próxima crise financeira – os cidadãos continuam com a corda na garganta. A solução, cada vez mais incontornável, é entregar o dinheiro aos cidadãos para que estes, pagando o que devem ou comprando o que necessitam, façam de novo circular o dinheiro pela economia real, reanimando as empresas, criando emprego e estimulando o investimento.

O dinheiro do helicóptero é a última hipótese de salvação da zona Euro e com ela, provavelmente, do projecto europeu. Que ninguém quer uma Europa cada vez mais hostil aos seus cidadãos e indiferente às suas dificuldades. E, apesar da retórica europeísta, as forças centrífugas no interior da União nunca foram tão fortes. Pois, como diria o outro acerca do verdadeiro problema, é a economia, estúpido!

Anúncios

One thought on “Mario Draghi sem falta de munições

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s