Parece-me justo

huge.15.78409[1]O Tribunal da Comarca de Lisboa deferiu uma providência cautelar apresentada pela defesa de José Sócrates e proibiu os órgãos de comunicação social do grupo Cofina de dar notícias sobre o processo de José Sócrates.

Ou são jornalistas, relatando com imparcialidade os factos de interesse público, ou são assistentes, ou seja, parte interessada num processo judicial.

Não poderão é ser assistentes para obter acesso privilegiado aos documentos do processo, passando em seguida à condição de jornalistas para divulgar selectivamente o que lhes interessar.

Claro que, melhor do que isto tudo, era concluírem rapidamente as investigações, deduzirem a acusação e procederem ao julgamento de Sócrates e dos restantes arguidos.

E pouparem-nos às histórias anedóticas sobre as compras de livros e as despesas sumptuárias do ex-ministro, pois esbanjar dinheiro não é crime. O que a acusação tem de provar é a sua proveniência ilícita, e o protelar do inquérito, juntamente com estas manobras de diversão para manter o circo mediático à volta do processo Marquês, fazem-me recear que a montanha processual venha a parir um rato judicial…

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.